quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Lucio Salvatore arte saida literalmente da veia.

LUCIO SALVATORE





Além dos 17 retratos de pessoas que doaram o próprio sangue para seus retratos, a exposição conta com um vídeo e mais 12 retratos de pessoas comoVinicius de MoraesOscar Niemeyer e Marina Abramovic, para quem Lucio Salvatore acredita dever tributos e agradecimentos por inspiração e ensinamento.
A escolha do Rio de Janeiro como local de estréia da exposição se deu por motivos afetivos: a cidade maravilhosa cativou o artista por mais de 10 anos, e os reconhecidos contrastes do Rio geraram no artista a inspiração que o levou a desenvolver esta série exposta de trabalhos que dão visibilidade ao choque/contrante/tensão entre imanência e transcendência.
O uso do sangue como material pictórico nasce de uma urgência própria de ser parte de um processo de retorno às eternas questões ontológicas ou questões do Ser. São discutidas, entre outras, a diferença entre identidade própria e Identidade e entre o ser próprio e o Ser. Salvatore diz:
- O sangue guarda todos os códigos do DNA dos sujeitos retratados e conta sua história milenar de descendências, seleções e coevoluções, a duração da vida e o seu tempo. Mas a essência desta narrativa é ao mesmo tempo o enigma: O sangue é a síntese do infinitamente pessoal e do universal. É o elemento mais íntimo, diferente em cada um e, no final, o mesmo para todos. Somos uma coisa só, embora sejamos todos diferentes.
Realizar obras com o sangue da pessoa retratada é o elemento decisivo do trabalho de Lucio e é uma escolha que não é ligada a nenhuma manifestação da história da arte, técnica ou moda, mas tem a ver com a essência das pessoas. Contrariamente aos seus predecessores, que usaram o corpo e o sangue como fator de espetacularização e símbolo de sofrimento ou até morte, em Salvatore, o corpo e o sangue são símbolos de VIDA. A curadora da exposição, Daniela Palazzoli, que já foi responsável, entre outras coisas, pela importante Trienal de Milão, diz que essa exposição fundou o conceito de artista como antivampiro.
Mesmo que, com esta série, Lucio se coloque na linha histórica de trabalhos de arte com sangue (junto a artistas como Gina Pane, Piero Manzoni, Herman Nitch, Marc Quinn, etc), o artista afirma que duas de suas maiores influências não têm trabalhos sanguíneos, diretamente. Elas são artistas mulheres e altamente ousadas: a sérvia Marina Abramovic (com seu experimentalismo do corpo, do desafio de seus limites e das questões da individualidade) e a brasileira Lygia Clark (com suas pesquisas da aproximação estética fenomenológica pós-metafísica das relações humanas).

Lucio passou o último ano procurando por pessoas de todo o mundo que fossem, ao mesmo tempo, especialmente raras e completamente diferentes entre si. Dessa maneira, entre os doadores retratados por Lucio estão:
Fernanda e Constança Basto: para o artista, são símbolos de elegância, da nova mulher, delicadeza, paixão e estão presentes em retratos individuais e juntas.
Pier Paolo Piccioli: Um dos dois poderosos designers da grife Valentino, encarna a alma do rock, unindo sensibilidade, inspiração e força, pessoal e profissionalmente.
Pietro Vittorelli: um dos homens mais poderosos do Catolicismo, é o mais jovem e ousado abade principal da tradicional Ordem de São Bento, amigo do Papa, freqüentador da cena das festas na Itália e apreciador de música pop mundial.
Antonio Lanni: simboliza, para Lucio a ética popular; é um pobre trabalhador braçal, com jornada diária de 18 horas.
Lucia Mariani: mãe do artista, é retratada com uma mistura do sangue do próprio artista e seu irmão.
Lucio Salvatore: o artista produziu um auto-retrato em que figura o perfil de seu próprio pênis ereto.
A mostra, que fica aberta até o dia 31 de outubro no Centro Cultural dos Correios, é também uma homenagem ou um agradecimento do artista a cidade que o recebeu e o inspirou. Por isso, entre os retratados estão grandes personalidades que para Lucio Salvatore são a cara do Rio:
Vinicius de Moraes: o “poetinha” inspirou a leveza e a flexibilidade para o artista que foi formado nas escolas mais rígidas da filosofia européia.
Oscar Niemeyer: as reconhecidamente inovadoras curvas e traços do grande arquiteto brasileiro foram inspiração de muitas das séries anteriores de Lucio.
-Lise Grendene: A modelo é, para Salvatore, “uma mulher que luta contra os preconceitos a procura dos próprios caminhos”.



segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Laranjeiras recebe a cidade de Estância com o projeto caravana cidade da cultura e a peça teatral MIRANDOLINA a DAMA do JARDIM

Projeta Caravana Cidade da Cultura
          O espetáculo é uma adaptação do texto do dramaturgo italiano Carlo Goldoni. Uma comédia clássica em que se conta a história de Mirandolina, estonteante dona de uma pensão onde estão hospedados três nobres: o milionário Conde de Albafiorita e o pobre Marquês de Forlipópoli (que competem pelo amor de Mirandolina), além do sempre averso às mulheres Cavaleiro de Ripafratta (no qual Mirandolina está bastante interessada). À pensão, aparecem as atrizes Hortência e Dejanira (vestidas como nobres) e Mirandolina logo as convence a seduzirem o Conde e o Marquês, na intenção de ter o caminho livre para poder "regenerar" o coração do Cavaleiro. A  INCENA - Companhia Estanciana de Artes - está agora engajada num novo projeto chamado Caravana Cidade da Cultura patrocinada pela Prefeitura Municipal de Estância conjuntamente com a Secretari 10 (dez) cidades sergipanas com a peça teatral"Mirandolina, a dama do jardim".o Caravana Cidade da Cultura.







 
Geovanna, Estevão, Lidiane, Paulo.
Estêvão e John
Estevão e ybson Luiz
Estêvão e Geovanna
Estêvão e Paulo Ricardo


Jamyle Pereira
Wenderson Santos

Cia Estenciana de Artes 

video
Vídeo Barco de fogo e a guerra de espadas da cidade de Estância em Laranjeiras

sábado, 6 de novembro de 2010

1° Turma do Curso de Licenciatura em Teatro da UFS visita o IPAESE - Instituto Pedagógico de Apoio a Educação dos Surdos de Sergipe.

1° Turma do Curso de Licenciatura em Teatro da UFS visita o IPAESE - Instituto Pedagógico de Apoio a Educação dos Surdos de Sergipe.
Essa visita e uma das muitas que teremos decorrente da obrigatoriedade da disciplina de Libras nos cursos de licenciatura, Libras é a segunda Língua oficial do Brasil. 
a primeira professora a lecionar Libras no curso de Teatro e Dança na UFS -Universidade Federal de Sergipe é  Jucelia Brasil.

Instituto Pedagógico de Apoio a Educação dos Surdos de Sergipe.


O IPAESE, entidade de caráter filantrópico vem desenvolvendo o seu papel educacional na modalidade Educação Infantil, Ensino Fundamental do 1º ao 9º ano e Curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio. Estamos junto à comunidade surda de Sergipe há  quase 10 anos.
Nosso Projeto Político Pedagógico consta de:Apresentação dos Programas por série e ano, Planejamento e Conteúdos anuais, Regimento Escolar e Calendário Anual. Funcionamos nos três turnos.

Estevão Andrantos, Geovanna Oliveira, Roberto Marques e o professor Davi Bomfim - que ministra a disciplina de Geografia no instituto. 

Instituto Pedagógico de Apoio a Educação dos Surdos de Sergipe.
DIRETORIA/2010
 Presidente:
José da Rocha Pinto Filho 
Vice Presidente:
IN memória - Geraldo Ferreira Sobrinho
Diretora Pedagógica:
Maria Vanda Brandão Macedo
Coordenação Pedagógica:
Tania  Maria Barbosa de Carvalho Luz ( Matutino e Vespertino)
Camila Carla  Costa ( Noturno)

Estevão Andrantos, Geovanna Oliveira, Roberto Marques e o professora Cleze Garlene - que ministra a disciplina de Ciências no instituto.

LOCALIZAÇÃO do INSTITUTO   
TRAVESSA: JOSÉ RODRIGUES, 64 BAIRRO – SÃO JOSÉ
Ficamos entre a rua Campo do Brito e a Rua Stanley
NOSSO TELEFONE:     3211:0938
Alunos matriculados para o Ano Letivo de 2010:    100 alunos

Estevão Andrantos, Lidiane Nobre, professor Jorge Fortes - que ministra a disciplina de Libras, professora Cleze Garlene - que ministra a disciplina de Ciências, professor Davi Bomfim - que ministra a disciplina de Geografia no instituto, Luisa Secundo,  Geovanna Oliveira.

Objetivo
Propiciar a inclusão social do aluno surdo, cidadão com direitos e deveres, através do ensino bilíngue, promovendo a auto-estima do educando, a valorização e divulgação da cultura surda do nosso Estado.  
Modalidade de Ensino:
Educação Especial  
Bilingue. Tendo como primeira língua para o  surdo a LIBRAS

Estevão Andrantos, professor Jorge Fortes - que ministra a disciplina de Libras, professora Cleze Garlene - que ministra a disciplina de Ciências, professor Davi Bomfim - que ministra a disciplina de Geografia no instituto, Luisa Secundo, Geovanna Oliveira, Patrícia Brunet

}
Nosso lema é manter o nosso caráter de seriedade, luta e determinação na conquista de novos horizontes com um ensino de qualidade para a comunidade surda do nosso Estado.  
}
Continuaremos:  
}
Vencendo Barreiras; 
}
Quebrando silêncio; 
}
Construindo cidadania

Durante a nossa visita fomos acompanhado pela Coordenadora Pedagógica Tania Maria Barbosa de Carvalho de Luz.

Todo Surdo precisa ser respeitado em sua família, na sociedade e em todos os lugares


Da esquerda para a direita, Luisa Secundo,Tetê Nahas, Flavia Santana, Lidiane Nobre, Gisele Azevedo, Roberto Marques, Professora do Cleze Garlene do instituto, Estevão Andrantos, Coordenadora Pedagógica Tania Maria Barbosa de Carvalho de Luz, o gatissimo professor de matemática Irami Bila do instituto, Patricia Brunet, Sandy Soares, Geovanna Oliveita, Rogerio, Gustavo Floriano, Eduardo Vieira, professor Davi Bomfim do instituto e uma aluno do instituto.

Dia 26 de setembro-  Dia Nacional do Surdo  
“Escuto e esqueço; vejo e recordo; faço e entendo”.  
Somente uma prévia do que é feito  no IPAESE.